Aniversário na Europa que eu não quero

Hi! Meu nome é Giacomo e hoje faço 20 anos. No verão passado, fiz o exame de conclusão do ensino médio e decidi dar um tempo nos estudos: começar a universidade sem uma motivação válida não estava em meus planos, então, no inverno passado, saí com a Operation Dove e passei três meses no projeto Grécia.Esse projeto me fez perceber o que acontece sob a bandeira de uma União Europeia considerada acolhedora e progressista: campos de refugiados onde as pessoas morrem porque as ambulâncias não chegam, esfaqueamentos, estupros. Migrantes que partem com enormes expectativas em relação à Europa e acabam vivendo em um contêiner por anos a fio. Um governo de extrema direita que faz tudo o que pode para dificultar sua recepção e, por exemplo, move os campos de refugiados para longe dos centros populacionais: isso significa longe de escolas, hospitais e qualquer tentativa de integração com a população local. Isso leva as pessoas a viverem em um estado de isolamento que causa problemas psicológicos graves e constantes.A tarefa de nós, voluntários, é dar àqueles que há muito tempo perderam anormalidade umgostinho de normalidade: um café no bar, uma refeição em companhia, um mergulho no mar ou um acompanhamento/tradução em caso de visitas médicas ou jurídicas, mas, acima de tudo, coletar informações, manter o controle de algo que, de outra forma, seria ignorado e esquecido.Então, por que não aproveitar algumas semanas livres antes de começar a universidade para voltar a Atenas? Acho que a melhor maneira de comemorar meu aniversário é junto com aqueles que simplesmente não tiveram sorte, que se viram fugindo de guerras e da violência, apenas para se verem sofrendo psicologicamente também.A palavra "Grécia" não deve nos fazer pensar apenas nas famosas praias de Mykonos ou Corfu, pois a União Europeia não significa necessariamente proteção dos direitos humanos.Portanto, se você quiser, apoie as despesas diárias que enfrentamos, como gasolina ou o sustento de nós, voluntários! Muito obrigado!

Aniversário na Europa que eu não quero

Uma angariação de fundos para a ocasião especial "Compleanno" (08/09/2023)
Captação de recursos por Giacomo Giordana

Hi! Meu nome é Giacomo e hoje faço 20 anos.

No verão passado, fiz o exame de conclusão do ensino médio e decidi dar um tempo nos estudos: começar a universidade sem uma motivação válida não estava em meus planos, então, no inverno passado, saí com a Operation Dove e passei três meses no projeto Grécia.


Esse projeto me fez perceber o que acontece sob a bandeira de uma União Europeia considerada acolhedora e progressista: campos de refugiados onde as pessoas morrem porque as ambulâncias não chegam, esfaqueamentos, estupros. Migrantes que partem com enormes expectativas em relação à Europa e acabam vivendo em um contêiner por anos a fio. Um governo de extrema direita que faz tudo o que pode para dificultar sua recepção e, por exemplo, move os campos de refugiados para longe dos centros populacionais: isso significa longe de escolas, hospitais e qualquer tentativa de integração com a população local. Isso leva as pessoas a viverem em um estado de isolamento que causa problemas psicológicos graves e constantes.


A tarefa de nós, voluntários, é dar àqueles que há muito tempo perderam anormalidade umgostinho de normalidade: um café no bar, uma refeição em companhia, um mergulho no mar ou um acompanhamento/tradução em caso de visitas médicas ou jurídicas, mas, acima de tudo, coletar informações, manter o controle de algo que, de outra forma, seria ignorado e esquecido.


Então, por que não aproveitar algumas semanas livres antes de começar a universidade para voltar a Atenas? Acho que a melhor maneira de comemorar meu aniversário é junto com aqueles que simplesmente não tiveram sorte, que se viram fugindo de guerras e da violência, apenas para se verem sofrendo psicologicamente também.


A palavra "Grécia" não deve nos fazer pensar apenas nas famosas praias de Mykonos ou Corfu, pois a União Europeia não significa necessariamente proteção dos direitos humanos.

Portanto, se você quiser, apoie as despesas diárias que enfrentamos, como gasolina ou o sustento de nós, voluntários! Muito obrigado!

1.090 €

-190 Dias
73%
1.500 €
20 Doações
A arrecadação de fundos apóia o projeto: Na Grécia, para caminhar ao lado de migrantes
Meta total do projeto: 20.000 €

A Grécia é o primeiro porto de escala na União Européia para pessoas que fogem da guerra e da perseguição. Aqueles que chegam aqui muitas vezes se encontram sozinhos, forçados a viver nas ruas. Os voluntários da Comunidade do Papa João XXIII, juntamente com a Operazione Colomba, visitam as pessoas que vivem dentro e fora dos campos de refugiados para oferecer-lhes apoio e serviços e monitorar e denunciar as violações dos direitos humanos que sofrem. Sua presença é fundamental: apoiá-los nesta jornada de paz.

DONATE

DONATE

APG23

Dai Ci Stai? É a plataforma criada para criar campanhas de arrecadação de fundos online em apoio à Comunidade Papa Giovanni XXIII, que por mais de 50 anos ao lado de quem precisa.

Você precisa de alguma ajuda?

Como funciona?
Escreva para sostenitori@apg23.org ou ligue para 0543.404693de segunda a sexta-feira (horário de expediente).

Siga-nos em