Juntamente com as vítimas do povo mapuche

Não posso ficar indiferente a tanta dor das pessoas e famílias que compõem esses mais de 1.800.000 indígenas que pertencem ao povoMapuche do Chile, que é o maior povo indígena do Chile, que lutam todos os dias para serem considerados e reconhecidos pela sociedade e politicamente na Constituição Política do Estado do Chile, o que ao longo da história causou inúmeras vítimas, aumentando a pobreza e a frustração.Na forma pequena e humilde de nosso acompanhamento, colocando nossas vidas ao lado das deles, tentamos promover A DIGINIDADE DE PESSOAS que acreditam que não valem NADA, mas com quem, ao contrário, podemos aprender muito. A injustiça de terem sofrido a expropriação de suas terras ancestrais e sagradas, onde, sem consulta ou acordo, grandes empresas começaram a construir e desenvolver megaprojetos de energia, alterando e gerando danos irreversíveis ao meio ambiente e extinguindo seus recursos naturais vitais para sua sobrevivência e expressão cultural e religiosa .Os mapuches são um povo humilde que é estigmatizado e perseguido como terrorista. Devemos urgentemente continuar a apoiá-los, protegê-los dos abusos de poder, da arbitrariedade em seus processos judiciais, visitar suas famílias, conversar com instituições de vários setores, relatar da forma mais objetiva possível às organizações internacionais.Sua doação nos permite continuar ao lado deles.

Juntamente com as vítimas do povo mapuche

Captação de recursos por Alejandro Duran

Não posso ficar indiferente a tanta dor das pessoas e famílias que compõem esses mais de 1.800.000 indígenas que pertencem ao povoMapuche do Chile, que é o maior povo indígena do Chile, que lutam todos os dias para serem considerados e reconhecidos pela sociedade e politicamente na Constituição Política do Estado do Chile, o que ao longo da história causou inúmeras vítimas, aumentando a pobreza e a frustração.


Na forma pequena e humilde de nosso acompanhamento, colocando nossas vidas ao lado das deles, tentamos promover A DIGINIDADE DE PESSOAS que acreditam que não valem NADA, mas com quem, ao contrário, podemos aprender muito. A injustiça de terem sofrido a expropriação de suas terras ancestrais e sagradas, onde, sem consulta ou acordo, grandes empresas começaram a construir e desenvolver megaprojetos de energia, alterando e gerando danos irreversíveis ao meio ambiente e extinguindo seus recursos naturais vitais para sua sobrevivência e expressão cultural e religiosa .


Os mapuches são um povo humilde que é estigmatizado e perseguido como terrorista. Devemos urgentemente continuar a apoiá-los, protegê-los dos abusos de poder, da arbitrariedade em seus processos judiciais, visitar suas famílias, conversar com instituições de vários setores, relatar da forma mais objetiva possível às organizações internacionais.
Sua doação nos permite continuar ao lado deles.

317 €

11%
3.000 €
6 Doações
A arrecadação de fundos apóia o projeto: No Chile, ao lado do povo mapuche
Meta total do projeto: 10.000 €

Os Mapuche, um povo indígena no Chile, são perseguidos e ignorados há anos: o Estado não reconhece sua existência nem protege sua identidade. Privados de sua terra de origem, eles são forçados a lutar para recuperá-la e são, portanto, vítimas de forte repressão. A Comunidade, com voluntários, apoia-os neste caminho de reivindicação de forma pacífica e não-violenta. Apoie-os também.

DONATE

DONATE

APG23

Dai Ci Stai? É a plataforma criada para criar campanhas de arrecadação de fundos online em apoio à Comunidade Papa Giovanni XXIII, que por mais de 50 anos ao lado de quem precisa.

Você precisa de alguma ajuda?

Como funciona?
Escreva para sostenitori@apg23.org ou ligue para 0543.404693de segunda a sexta-feira (horário de expediente).

Siga-nos em